Texto aprovado nesta terça — que prevê um orçamento de R$ 3,867 trilhões — define gastos em cada área do governo

 O plenário do Congresso Nacional aprovou na noite de terça-feira a peça orçamentária de 2020 e encaminhou o texto para sanção presidencial, o que significa que os parlamentares poderão entrar oficialmente em férias.

O texto aprovado prevê uma expansão de 2,32% no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no próximo ano, e a previsão da inflação medida pelo IPCA ficou em 3,53%.

A peça orçamentária prevê ainda a meta da taxa de juros (Selic) de 4,40% e o câmbio médio projetado em 4,00 reais por dólar. A meta de déficit primário do governo central ficou em 124,1 bilhões de reais.

O orçamento fixou um salário mínimo de 1.031 reais a partir de janeiro. Dessa forma, não há aumento real (acima da inflação) em relação ao valor atual, de 998 reais. Contudo, o valor final do mínimo é fixado por um decreto presidencial.

O texto aprovado prevê um orçamento de R$ 3,867 trilhões, tendo sido reservados 121,5 bilhões de reais para investimento na máquina pública e 917,1 bilhões para refinanciamento da dívida pública.

.

.

Fonte: Reuters / Exame Abril


Compartilhar nas Redes Sociais